Dica de Escrita

O uso de ilustrações em um texto juvenil

Entrevistamos Liz Quintana, que está lançando o seu primeiro livro individual, “Traços”, no dia 15/11, às 17h30, na Feira do Livro de Porto Alegre. Falamos sobre o papel da ilustração na literatura e sobre a sua experiência em ilustrar o seu próprio texto.

Liz Quintana é graduada em Design. Doutora em Comunicação e Informação, trabalhou como docente durante 14 anos no ensino superior, napós-graduação stricto e lato sensu em design. Participou de oficina de criação literária infantil, oficina de escrita para jovens, oficinas de contação de histórias. Concluiu o Curso de Formação de Escritores da Metamorfose. É ilustradora. Já participou de duas publicações de antologias: Minicontos de Amor e Morte (2018) e Banquete (Contos 2019).

Confira abaixo a entrevista completa:

Você é professora de design e ilustradora. Como surgiu o interesse pela escrita?

Acredito que o interesse pela escrita originou-se da paixão pela leitura. Desde criança sempre adorei ler e na adolescência escrevia bastante e desenhava. Penso que não foi algo repentino, mas uma combinação de fatores, o interesse sempre existiu.

Qual a importância da ilustração para a literatura juvenil?

Estamos falando de duas formas de expressão que, juntas, se complementam e tornam as histórias infantis mais interessantes para o olhar e o sentir. Seja para o leitor criança ou o adulto.

Um ilustrador é um escritor de imagens?
Um ilustrador também envia mensagens através das cores e formas, então, pode-se pensar que é uma forma de contar histórias também.

Qual o papel da ilustração no teu primeiro livro individual, Traços?

No livro Traços, a ilustração tem um papel importante. A Carol, personagem da história, é desenhista e as ilustrações do livro representam desenhos que ela fez. A capa, por exemplo, é um desenho dela, mas, para entender, é preciso descobrir na leitura do livro. Por isso, acredito que as ilustrações são especiais, pois representam os acontecimentos narrados sob o ponto de vista de uma das personagens principais.

Você já havia trabalhado na ilustração de outros livros? Como foi fazer a ilustração para o seu próprio texto?

Desenhar é uma das coisas que mais amo fazer. Traços não só é meu primeiro livro individual, como também meu primeiro trabalho como ilustradora na área editorial. Ilustrar o próprio texto por um lado é difícil, já que é um mesmo olhar.Mas, por outro lado, é uma delícia, já que pude saborear cada minuto em que estive envolvida com o livro. Foi pura emoção.

Quais artistas influenciam o teu trabalho como ilustradora?

Mesmo antes de trabalhar como escritora e ilustradora, já acompanhava alguns ilustradores que admiro. É uma pergunta difícil, pois tem muitos. André Neves, Lúcia Hiratsuka, Ziraldo, Mariana Massarani, Martina Schreiner, Mafalda Milhões, Suppa, Alarcão, Rodrigo Rosa, Roger Mello. A lista é imensa.

Quais escritores influenciaram o teu trabalho como escritora?

O livro Traços foi desenvolvido ao longo do Curso de Formação de Escritores da Metamorfose, então, como os professores são escritores, penso que a influência maior foi deles. Em especial: Luís Dill, Gilberto Fonseca e Letícia Wierzchowski.

Quais livros você recomendaria para um ilustrador iniciante?

Ilustradores SIB. Literatura Infantil e Juvenil. Ed 2AB; CRUSH, Lawrence Zeegen. Fundamentos de Ilustração. Porto Alegre: Bookman, 2009; OLIVEIRA, Ieda de (org.). Com a palavra o ilustrador. O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil. São Paulo: Difusão Cultural do Livro, 2008.

De que forma o Curso de Formação de Escritores ajudou você na publicação do livro?

O curso é organizado de forma a conduzir o aluno para a escrita. Não funciona como uma oficina, mas, ainda assim, temos oportunidades para ensaiar textos e discutir nas aulas. É um curso bem completo, mesmo para quem já tem um direcionamento, como eu, que já entrei interessada no infanto-juvenil. O grande diferencial é a aproximação com os escritores que ministram as aulas e o encaminhamento para produção e publicação. Ao longo do curso, participei de duas coletâneas:Minicontos de Amor e Morte e Banquete. E, para o término do curso, fui preparando meu livro individual, sob orientação e acompanhamento do Marcelo Spalding, meu professor e editor.

Entrevista com Liz Quintana
01/11/2019

 

 

Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela