Dica de Escrita

Formação de palavras e ortografia

A formação de palavras é um dos fenômenos mais interessantes em qualquer língua. A partir de determinada palavra, do seu radical, formam-se dezenas de outras palavras com a combinação de prefixos e sufixos. Assim o verbo CONSTITUIR se transforma em:

CONSTITUIÇÃO: substantivo derivado de constituir
CONSTITUCIONAL: adjetivo
CONSTITUCIONALMENTE: advérbio
CONSTITUCIONALISSIMAMENTE: advérbio no superlativo
INCONSTITUCIONALISSIMAMENTE: adição de um prefixo

Ou seja, uma palavra é forma de PREFIXO + RADICAL + SUFIXO.

O prefixo muda seu significado. "INtolerante" é o oposto de tolerante, "renascer" é nascer de novo, "internacional" é entre nações. E por aí vai. Evidentemente, nem todas as palavras têm prefixo. Em "índio", por exemplo, o "ín" é parte do radical da palavra.

O sufixo , por sua vez, costuma identificar a classe gramatical da palavra. No exemplo acima, vimos que acrescentando "-AL" formamos o adjetivo. Como em "mortal", "imoral", "nacional". Já acrescentando "-MENTE" formamos o advérbio, como em "mortalmente", "imoralmente", "nacionalmente". Uma palavra pode estar no seu estado "bruto", sem sufixos (ônibus, homem...). E, claro, há diversas formas irregulares de formação de palavras (perca -> perda, morrer -> morte). Mas lembre-se que o mote aqui é entender a lógica, só depois memorizar a exceção.

Já o radical é a essência da palavra, aquele "miolo" que não se modifica mesmo com acréscimo de sufixos e prefixos. Para uma palavra ter o mesmo radical da outra, ela precisa ter a mesma origem, ou seja, a mesma grafia e o mesmo significado. Dessa forma, "admitir" e "inadmissível" têm o mesmo radical, mas "administrador", não.

E o que isso tudo tem a ver com a ortografia? Oberve as imagens abaixo:



Claro que os erros aqui são primários e, por isso mesmo, fotografáveis. O vebo SER é com "s" e por isso mesmo "seja" só pode ser com "s". Assim como FAZER, todos sabemos, é com "z", então "fazida", "fazedor", "fazendo" deve ser com "z". E EXPERIMENTAR é com "x", o que faz com que "experimente" seja com "x".

Algumas pessoas não se dão conta, porém, que essa lógica vale para milhares de palavras (para não dizer todas). Se ASSESSOR é com SS, SS, "assessoria", "assessorar", "assessoramento" também é! Se HESITAR é com "h" e depois "s", "hesitou", "hesitariam" também é! Se ANÁLISE é com "s", "analisar" também é.

A grande função da existência dos prefixos, sufixos e radicais é que o usuário da língua não precisa memorizar a ortografia de milhões de palavras, e sim de milhares de prefixos, sufixos e radicais, pois eles tendem a manter sua grafia em outras situações. O sufixo "-al", por exemplo, nunca terá "u" no final. Assim como o prefixo "des" é sempre com "s": "desestabilizar", "desestimular".

Abaixo temos alguns links sobre a formação de palavras. O importante, porém, é você entender a lógica dos radicais e não errar mais quando escrever "inadmissível", por exemplo, pois ninguém coloca "i" depois do "d" em "admitir".

Marcelo Spalding
05/06/2021

 

 

Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela