Escritores e os turbulentos mares da internet

Roberto Tostes

Em tempos digitais que mudam constantemente e nos quais a web se divide cada vez mais em múltiplas redes sociais disputando espaço, atenção e cliques, cabe a escritores, editoras e até livrarias testarem e implementarem novas formas de se comunicar e se aproximar do público.

Blogues perderam nos últimos anos cada vez mais espaço para imagens e vídeos. Até Facebook e YouTube deixaram de ser mídias dominantes para alternativas mais visuais como Instagram, TikTok e outras com recursos de vídeos e sons fáceis de usar e compartilhar.

Podcasts ganharam força, as plataformas de financiamento coletivo permitem a novos autores e pequenas editoras viabilizarem edições que antes eram baseadas no risco.

Precisamos saber enxergar as mudanças e nos adaptar. São muitas coisas acontecendo mas quem continua mandando é o público, a audiência ou o leitor. Num mundo tão diversificado os nichos passaram a ter grande valor, pois eles refletem valores de pequenos grupos, ideologias e culturas que se fortalecem unidas.

Um autor hoje tem que saber se posicionar na internet para ter mais visibilidade sem necessariamente ter que pagar anúncios ou mídia para isso.

O que adianta ter um belo e potencial texto engavetado se não teve a chance ainda de ser publicado?

A questão não é apenas ser ou não ser publicado, mas sim o fato de precisar abrir um canal, de forma que você possa ser lido ou ouvido. É principalmente, uma questão de identidade e presença digital. O que você é, o que você quer dizer, e quem você pode alcançar.

Já foi o tempo que escritores dependiam apenas de serem “descobertos” por editoras, agentes, concursos literários ou investir em uma autopublicação.

Os “influencers” conseguiram ganhar destaque e valor como forma de divulgação pois sabem lidar com este universo digital e mobilizar suas comunidades. A internet vive de interação e eles sabem fazer isso bem.

Não quero dizer com isso que escritores precisam se enfeitar e subir no palco, ou se tornarem grandes comunicadores da noite para o dia.

Para ter sua voz e espaço, algo precisa ser feito, e a melhor maneira de começar é acreditar no seu trabalho, e buscar caminhos possíveis para ser lido.

Muitas plataformas podem servir de canal para seus textos, publicações, projetos e textos.

A resposta final, de qualquer forma, será dita pelos leitores e pela interação, respostas e diálogo, e não necessariamente pelo sucesso ou audiência.

A permanência e o valor na internet são dinâmicos e relativos. O que está vivo agora amanhã já mudou. Mas tudo que é bom, feito com trabalho e esforço, e construído com dedicação e persistência tende a durar mais.

Uma grande caminhada começa com pequenos passos e com um plano de alguém que tenta enxergar, ou sonhar, além do conhecido e já sabido por todos.

E principalmente, querendo arriscar, mesmo sabendo que pode errar e ter que recomeçar.

Mas em vez de pensar mais e esperar, o melhor mesmo é começar a fazer.


Roberto Tostes é autor independente e publicou um livro com textos e desenhos chamado Vida Passageira. O livro está em formato digital e tem acesso gratuito no link: https://issuu.com/robertotostes/docs/passag_urb_4mai_f

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "181904" no campo ao lado.
 
  

 

Voltar
Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela